11 de janeiro de 2012

Estadão: 'Estou vendo a serpente nascer, não posso calar', diz Eliana Calmon

Em longa entrevista ao Estadão, a ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça, se mostra bastante enfática e corajosa em seus objetivos e atribuições. Destaco: "ELIANA CALMON: Perceba que eles atacam e depois fazem ressalvas. Eu preciso fazer alguma coisa porque estou vendo a serpente nascer e eu não posso me calar. É a última coisa que estou fazendo pela carreira, pelo Judiciário. Vou continuar."  E mais, na matéria o ministro Marco Aurélio pergunta: "Ela tem autonomia? Quem sabe ela venha a substituir até o Supremo." Parece que o ministro ainda não entendeu que o CNJ é superior sim, pelo menos na esfera administrativa ao STF. Se não qual a razão de sua existência?
Enquanto isso em Minas o mesmo Estadão publica: TJ não se manifesta sobre nomeações ilegais em MG
Comentar o que, o que eles têm a dizer? Só sei que desde a CF/1988 as carreiras jurídicas hipertrofiaram em demasia (redundante mesmo!), mas a realidade mostra só mesmo injustiça ou a defesa descarada dos ricos e poderosos. Um exemplo: Gilmar Dantas!
 
'Não vão me desmoralizar', avisa Eliana Calmon, do CNJ Foto:Wilson Pedrosa/AE

Foto: Estadão

Um comentário:

ELIMITA disse...

Abaixo-assinado:
Ampliar poderes do CNJ,para barrar a corrupção no Judiciário Brasileiro.
ACESSE, ASSINE E DIVULGUE, QUEREMOS CHEGAR A 1 MILHÃO DE APOIADORES.
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N18403