31 de maio de 2012

Porfírio: Quando tudo se presta a tudo, principalmente a tudo que não presta

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)
 
 

Quando tudo se presta a tudo, principalmente a tudo que não presta

“É preciso que tudo mude para que tudo fique na mesma”
Giuseppe Tomasi di Lampedusa,escritor italiano (1896-1957)
 
 
Imagem Porfírio

Tudo isso que está acontecendo na corte é muito deprimente e muito desanimador. Espelha a agonia de instituições em pandarecos, entregues a coveiros ébrios, ávidos de todo e qualquer ganho, indiferentes a todo e qualquer valor ético e moral.

Tudo o que se relatou é suspeito. Esses personagens já caíram no descrédito até dos mais crédulos. Agem como se fossemos uma fieira de panacas. E galgam os píncaros de uma mídia trapalhona, flagrada com a mão na massa. Nisso tudo fala quem quer e como ninguém quer, ninguém fala na escala e ninguém se abala.

Tudo é muito feito, muito patético, muito sem nexo. Encomenda torpe de quem  não sabe onde meter a cabeça, onde esconder a alma, nem escapa à farpa.

Tudo se presta a tudo. E principalmente a tudo que não presta. Briga de cachorros grandes sem o pudor diante dos olhares curiosos de perplexidades. Cachorros que adoram uma cachorrada. Continue lendo.

Estadão: USP dá o primeiro passo para adoção de cotas raciais

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Boa notícia!

USP dá o primeiro passo para adoção de cotas raciais

A Universidade de São Paulo acaba de dar o primeiro passo para a adoção de cotas raciais na seleção de seus alunos. Por aclamação, a Congregação da Faculdade de Direito do Largo São Francisco aprovou, em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (31), uma recomendação ao Conselho Universitário da USP para que adote as cotas raciais.
“Foi um momento histórico. A congregação entendeu que ainda persiste na USP uma exclusão racial profunda”, disse o professor Marcus Orione, um dos principais defensores da proposta na congregação.

A reunião contou com a participação de representantes do movimento negro, que expuseram os problemas decorrentes da exclusão racial. “Ficou claro que este debate está maduro e não dá para esperar mais”, observou o representante da organização Uneafro, Cleyton Borges. “O sistema de inclusão adotado na USP não foi suficiente para alterar a profunda desigualdade entre brancos e negros no acesso aos seus cursos.” Continue lendo.

Náufrago da Utopia: IMPEACHMENT PARA GILMAR MENDES ; mais Folha

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

(Posts relacionados: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7)
IMPEACHMENT PARA GILMAR MENDES
"Admito que o ex-presidente pudesse estar preocupado com a realização do julgamento no mesmo semestre das eleições. Isso aí é aceitável. Primeiro, porque é um leigo na área do Direito. Segundo, porque integra o PT. Portanto, se o processo envolve pessoas ligadas ao PT, obviamente, se ocorrer uma condenação, repercutirá nas eleições municipais."

A avaliação, simples mas correta, foi do ministro Marco Aurélio Mello, que sempre considerei o mais lúcido dos integrantes do Supremo Tribunal Federal. Continue lendo.

Exclusivo: TV Senado ao vivo na CPMI! 31/05/2012

Clique aqui para o post que contém a TV Senado na CPMI do Cachoeira!

Sessão encerrada, após a liberação do senador investigado, que preferiu  optar por ficar calado e assim foi liberado. 

11:35 - Corrigindo, sessão suspensa, que ora retorna.

12:06 - ERRAMOS, foi apenas um replay da tv Senado.

Agência Brasil: PSOL vai à PGR contra Gilmar Mendes e funcionário público pede impeachment do ministro

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

(Posts relacionados: 1, 2, 3, 4, 5, 6)
 

PSOL vai à PGR contra Gilmar Mendes e funcionário público pede impeachment do ministro

30/05/2012 - 21h01
 
Iolando Lourenço e Ivan Richard
Repórteres da Agência Brasil


Brasília - O PSOL protocolou hoje (30) representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. O partido questiona a conduta do ministro no episódio que envolve diálogo dele com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Na representação, o PSOL classifica a conduta do ministro Gilmar Mendes como “bastante questionável”. No documento protocolado na PGR, a sigla pede a investigação dos fatos e, se comprovada conduta indevida, que a procuradoria adote as medidas cabíveis, nos âmbitos administrativo, civil ou penal.

Ontem (29), os partidos de oposição – DEM, PSDB e PPS – protocolaram representação criminal na PGR contra o ex-presidente Lula. O documento pede a instauração de inquérito policial para investigar a veracidade das denúncias feitas por Gilmar Mendes à revista Veja desta semana.

Foto Agência Brasil
No Senado, o servidor público do Distrito Federal, Cícero Batista Araújo Rôla, protocolou hoje na Presidência da Casa pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes. Filiado ao PT e à Central Única dos trabalhadores (CUT), Rôla disse à Agência Brasil que o magistrado precisa ser investigado. “Sou um cidadão indignado e não posso aceitar que, na mais alta Corte do país, um ministro esteja sob suspeição”, disse Araújo.

É a segunda vez que o servidor público protocola pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes. A primeira nem chegou a ser analisada pelos senadores porque foi arquivada pela Presidência do Senado. Na ocasião, Rôla questionava a conduta de Gilmar Mendes na concessão de habeas corpus ao banqueiro Daniel Dantas durante a Operação Satiagraha, da Polícia Federal.

A reportagem da Agência Brasil tentou entrar em contato com o ministro Gilmar Mendes, mas a assessoria do ministro disse que ele não iria se manifestar sobre a representação do PSOL e o pedido de impeachment.

Edição: Fábio Massalli. Origem.
 
 

30 de maio de 2012

Estado de Minas: Senado aprova fim de concurso para formar exclusivamente cadastro de reserva

Já tinha passado da hora.

Senado aprova fim de concurso para formar exclusivamente cadastro de reserva

30/05/2012 - 13h43
 
Marcos Chagas
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O Senado aprovou hoje (30) o fim de concurso público para formar exclusivamente cadastro de reserva. Apreciado em caráter terminativo pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o projeto de lei será analisado pela Câmara dos Deputados.

Os senadores excluíram dessa norma as empresas públicas e de economia mista, que não poderão cobrar taxas de inscrição quando o objetivo for criar cadastro de reserva.

O projeto prevê que o edital de cada concurso público de provas ou de provas e títulos, no âmbito da administração direta e indireta – fundações e autarquias – da União, estados, municípios e no Distrito Federal, deverá especificar o número de cargos a serem providos. Origem.

Folha: Supremo britânico autoriza extradição do fundador do WikiLeaks à Suécia

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)
A Águia está começando a alcançar os seus objetivos!
Fundador do WikiLeaks, Julian Assange, é acusado de estupro e abuso sexual - Kirsty Wigglesworth/Associated Press - Folha
Supremo britânico autoriza extradição do fundador do WikiLeaks à Suécia
DA EFE

A Suprema Corte britânica deu nesta quarta-feira (30) sinal verde à extradição do fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, à Suécia, onde é acusado de estupro, abuso sexual e coerção contra duas mulheres, em uma visita a Estocolmo em agosto de 2010, o que ele nega.

Por cinco votos a favor e dois contra, a máxima instância judicial britânica rejeitou o recurso da defesa de Assange, pois entende que o mandato emitido pelas autoridades suecas cumpre os requerimentos legais e que o jornalista pode ser entregue nos próximos dias.Continue lendo.

Exclusivo: TV Senado ao vivo na CPMI! 30/05/2012

Clique aqui para o post que contém a TV Senado na CPMI do Cachoeira!


Em protesto à grande quantidade de Habeas Corpus concedida aos depoentes, a CPMI interrompeu os seus trabalhos! 11:07

Volta aos trabalhos a CPMI! 11:18 

Encerrados os trabalhos de hoje:  Perillo, Agnelo, convocados; Cabral, não. 15:25

BOL: Exame de voz destaca "segmentos fraudulentos" em fala do ministro Gilmar Mendes

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

(Posts relacionados: 1, 2, 3, 4, 5)


Imagens UOL, tv globo

29 de maio de 2012

Agência Brasil: CPMI do Cachoeira aprova quebra de sigilo da Delta em todo o país

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)
 
Vindo o conteúdo dos documentos a público, aí a coisa pode ficar interessante! Mas por enquanto os governadores permanecem blindados. Perillo apareceu no Congresso hoje, queria depor, jogo de cena!

CPMI do Cachoeira aprova quebra de sigilo da Delta em todo o país

29/05/2012 - 17h32
 
Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira aprovou hoje (29) a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico da Delta Construção em todo o país. Com isso, os parlamentares pretendem checar as movimentações financeiras da empresa e as relações dela com agentes públicos, em especial com funcionários de alto escalão de governos estaduais.

“É uma medida que deveria ter sido tomada no primeiro dia da CPMI, quando foi convocado o senhor [Carlos Augusto de Almeida Ramos] Carlos Cachoeira. Essa não é só uma CPMI do Cachoeira, ela passa a ser também da empresa Delta e de suas relações com outros agentes públicos e privados”, disse o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), um dos autores de requerimentos para a quebra de sigilo da empresa.

A Delta tem contratos públicos com governos estaduais e com o governo federal para executar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). As relações dos diretores da empresa com o empresário Carlos Cachoeira, que é acusado de controlar um esquema de jogos ilegais em Goiás, levantaram suspeitas da Polícia Federal de que ele fosse um sócio oculto que usava a companhia para lavar dinheiro e fraudar licitações. Continue lendo.

JB: Denúncia de Gilmar Mendes pode impedi-lo de participar do processo do mensalão; mais Carta Capital

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

(Posts relacionados: 1, 2, 3, 4)
 
Denúncia de Gilmar Mendes pode impedi-lo de participar do processo do mensalão

Jornal do Brasil

As recentes declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, sobre o suposto pedido do ex-presidente Lula para que fosse adiado o julgamento do mensalão trouxeram luz ao seu posicionamento. A denúncia, feita pela revista Veja, acrescenta que Lula teria oferecido "blindagem" ao ministro na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o contraventor Carlinhos Cachoeira e seu envolvimento com políticos, empresários e funcionários do governo.

Ao optar por tornar pública a reunião com o ex-presidente e seu devido conteúdo, Mendes deu a entender sua opinião quanto à realização do julgamento do mensalão no prazo estipulado, posição considerada rigorosa, visto que evitaria a possível prescrição de alguns crimes. Além disso, a partir do momento em que o ministro se mostrou contrário à intervenção de Lula - aliado de longa data de muitos réus que serão julgados pelo processo - se posicionou em lado oposto ao ex-presidente e seus aliados pendendo, portanto, pela condenação dos acusados.

A dúvida que paira é se a atitude do ministro de divulgar o teor do encontro, e de certo modo emitir previamente opinião sobre o caso, está amparada pela legislação. De acordo com a legislação brasileira, um magistrado não pode pré-julgar ou emitir juízo antes de um processo em que votará, sob pena de suspeição de parcialidade, conforme disposto no artigo 135 do Código do Processo Civil. O Jornal do Brasil ouviu especialistas em Direito para averiguar qual o limite de exposição que um magistrado pode dar a um processo do qual participa. Continue lendo.

Carta Capital: O que falta ser explicado?
 
 

LBI-QI: Por que Lula, Gilmar Mendes e Jobim se encontraram em Brasília?

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Uma nova versão numa outra visão. (Posts relacionados: 1, 2, 3 )

Por que Lula, Gilmar Mendes e Jobim se encontraram em Brasília?

O encontro entre Lula e Gilmar Mendes obviamente não foi um acaso. Ele ocorreu por pedido do ex-presidente da república, que usou como interlocutor Nelson Jobim, para sondar Gilmar Mendes sobre a possibilidade de um acordo envolvendo a votação no STF do caso do mensalão, particularmente com relação à delicada situação de José Dirceu. A reunião foi agendada com antecedência de três dias por Clara Ant, secretária de Lula e realizada no escritório de Jobim como parte da tentativa do ex-presidente livrar Dirceu da prisão ou mesmo tentar adiar o julgamento do caso para 2013, em um ano não eleitoral e, portanto, com menos holofotes, já que tudo indica que a maioria dos juízes do “Supremo” vai seguir a recomendação do Procurador-Geral da República, Roberto Gurguel, de punir exemplarmente o ex-chefe da Casa Civil de Lula, como desejam setores do próprio governo Dilma e a oposição demo-tucana. O encontro tratou-se de uma negociação entre as quadrilhas burguesas que controlam os poderes da república e rapinam o botim estatal. O que Gilmar levaria em troca para “aliviar” a barra de Dirceu? A continuidade de suas negociatas milionárias na condição de membro do STF através de vendas de sentenças e pareceres, já que no interior deste covil de bandidos de toga a maioria dos juízes (6 dos 11) foi indicada por Lula e estes poderiam “dificultar” a vida de Mendes no tribunal. Para se ter uma pequena ideia do grau de corrupção em que os juízes do STF estão envolvidos, basta saber que no dia da prisão de Cachoeira, 29 de fevereiro, o próprio Gilmar Mendes iria dar um parecer no STF sobre a legalidade ou não de um decreto do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), sobre a liberação do jogo de caça-níqueis em bares e casas de show. Com o escândalo, a decisão foi adiada... Continue lendo.

Exclusivo: TV Senado ao vivo na CPMI! 29/05/2012

Clique aqui para o post que contém a TV Senado na CPMI do Cachoeira!

Para dispositivos móveis clique aqui! (Atualização às 16:01)

Amanhã, quarta, 30/05/2012, a partir das 10 horas tem mais! - 16:15
(Atenção usuários do Internet Explorer, favor pararem o player, se quiserem, bem mais abaixo)

28 de maio de 2012

Laerte Braga: ATESTADO DE IDIOTA

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

ATESTADO DE IDIOTA


Laerte Braga


A revista VEJA e o grupo GLOBO (jornal, revista, rádio e tevê) imaginam que os brasileiros sejam todos idiotas e engolirão sem questionar as declarações de Gilmar Mendes afirmando que Lula pediu que o julgamento do mensalão fosse adiado em troca de não envolver Gilmar com a construtora Delta e os negócios de Carlos Cachoeira.

É simples entender isso. Basta voltar um pouco no passado, quando William Bonner, apresentador do JORNAL NACIONAL, rotulou o telespectador daquela revista televisiva de “Homer Simpson”. Alusão a um personagem de uma série da tevê americana apresentado como idiota, mais precisamente como ingênuo.

Gilmar é useiro e vezeiro nesse tipo de expediente. Fez o mesmo quando concedeu dois habeas corpus a Daniel Dantas e se valeu de VEJA para tentar desmoralizar o delegado Protógenes Queiroz. O personagem escolhido para coadjuvar foi Demóstenes Torres e agora envolve outra figura complicada, Nélson Jobim, em sua história, em sua mentira.

Jobim já desmentiu, lógico, é esperto para cair nessa, ou se deixar envolver por um bandido sem qualquer escrúpulo, que virou ministro do Supremo Tribunal Federal para garantir a impunidade de FHC e seus parceiros. Como ele Jobim que foi para o STF e se declarou, em sua posse, “líder do governo” naquela Corte. Começou ali a desmoralização da Casa.

É um erro imaginar que Lula – sem análise de mérito de seu governo, mas de sua capacidade como político – fosse agir dessa forma, ou se dirigir a uma figura repulsiva como Gilmar Dantas para pedir alguma coisa, qualquer coisa que fosse, ou seja. Mas é crível imaginar que a visita a Jobim foi marcada com antecedência e aí deu a cara a tapas, não é possível que não saiba quem é Jobim.

VEJA e os veículos GLOBO apostaram no fato, a revista ao inventá-los e os parceiros a replicá-lo insistentemente, naquela convicção que basta noticiar que a dúvida fica lançada e alguém, certamente, vai dar crédito.

Tal e qual a história da apresentadora Xuxa com os “abusos sexuais”. Foram muitos, não sabe quem abusou e ao perceber a reação negativa junto à opinião pública, a repercussão nas redes sociais, não quis mais tocar no assunto.

O que está em jogo é grande demais para que bandidos deixem barato.

O esquema Cachoeira é apenas uma ponta de um iceberg que mais que políticos corruptos envolve empresas corruptoras e um mundo institucional falido. É evidente, políticos corruptos são substituíveis por outros, empresas, bancos, latifundiários não. São sempre os mesmos e seus herdeiros desde tempo imemoriais.

O modelo político e econômico arrombado pela porta da frente e a dos fundos. Não interessa  aos três maiores partidos políticos brasileiros que os fatos sejam apurados na sua totalidade, nem PT, nem PSDB e nem PMDB, pois cria uma realidade impensável para esse clube de amigos e inimigos cordiais.

Bronco, acostumado a se cercar de capangas, de pistoleiros, principalmente em sua cidade Diamantino, Gilmar Dantas, entendeu de dar um empurrão no esquema, criar um fato político que se sobreponha a toda e qualquer contestação a esse esquema, gerando até uma frase interessante do ministro Marco Aurélio Melo – “estamos vivendo num mundo esquisito”.

O que fazem é passar atestado de idiota para o leitor, o ouvinte, o  telespectador, no jornalismo de esgoto que é a rotina dessa gente.

Há uma charge perfeita que define o tipo de mídia que temos, a de mercado. O cidadão diz a Carlos Cachoeira que é sempre bom comprar uma revista numa banca, Cachoeira responde que sim e fala que compra no banco.

Compra VEJA, paga VEJA para mentir. A diferença entre VEJA e o grupo GLOBO é que os Marinhos pensam que têm sangue azul. É tão vermelho quanto qualquer outro e pior, as mãos estão sujas da participação na ditadura militar na omissão da tortura, dos assassinatos, de toda a sorte de barbáries cometidas àquela época.

O grupo na dimensão que tem hoje é produto da ditadura e dos interesses de bancos, empresas e latifúndio.

VEJA é rastaqüera, só isso.

Há um trem aí, no entanto, complicado. É perfeitamente possível que Nélson Jobim, intimamente ligado a FHC e publicamente eleitor de José Serra – atolado em negociatas com a Delta e suas ramificações – tenha armado toda essa farsa em conluio com Gilmar Mendes. Por que não?

Aí Lula foi ingênuo. Com esses caras – Gilmar e Jobim – só se conversa com pelo menos dez testemunhas idôneas e em local público.

De maneira diferente, dentro do escritório de Jobim é oferecer a cabeça à forca.

No duro mesmo Lula caiu numa armadilha. Conseqüência até dessa sabedoria política, a arte da sobrevivência, esse jogo de alianças com bandidos. Escorregou na sabedoria popular, esperto come esperto.

Muita coincidência Lula visitar Jobim e Gilmar Dantas estar lá.

Nessa arte de golpes de gabinete e jogadas como essa, nessa Lula não tem sido sábio, pelo contrário. Volta e meia se encrenca. Mas é óbvio que o ex-presidente jamais tocaria no assunto mensalão com alguém como Gilmar Mendes. Por mais amigo – azar dele – que seja do ex-ministro chefe do Gabinete Civil José Dirceu.

Lula tem o instinto da sobrevivência, falhou dessa vez, mas tem. Se viu presa de duas raposas e enrolado na mentira de VEJA e GLOBO.

O fato principal hoje é o esquema de Carlos Cachoeira, menos pelo banqueiro e mais pelo que ele arrasta consigo. A hipótese que a CPMI possa trabalhar sério é impensável para o governo, a oposição e os que corrompem.

Estão envolvidos governadores, José Serra, empreiteiros, banqueiros e mídia de mercado, VEJA então de forma escancarada. Obras do PAC, todo o esquema do clube de amigos e inimigos cordiais.

São funcionários dos corruptores deputados e senadores, a maioria, dos principais partidos com assento no Congresso Nacional. O que o brasileiro vai assistir é jogo de cena. Cada um jogando pedra no outro e todos permanecendo impunes, corruptos e corruptores.

Já imaginaram nas obras de Belo Monte, onde há trabalho escravo e Belo Monte em si é um absurdo, envolver os grupos envolvidos na construção? Ou as casas do programa Minha Casa Minha Vida que o próprio Lula quando presidente questionou a qualidade? São só dois exemplos.

Atrás de Cachoeira estão Norberto Odebrecht, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, OAS e todas as grandes construtoras do País. Banco, inclusive o BNDES. As revelações que empresários brasileiros participaram do golpe contra Salvador Allende mostram o caráter dessa gente. São amorais.

Para esquentar mais o assunto está o Código Florestal, Dilma vetou, mas não mudou nada, apenas retardou um processo que vai depender de muita luta para evitar que o Brasil se torne um enclave do agronegócio, do latifúndio.

Em jogo também a Comissão da Verdade e as apurações sobre tortura, assassinatos à época da ditadura militar, Operação Condor e outras barbaridades mais.

Nelson Jobim e Gilmar Dantas passaram atestado de idiota para Lula e VEJA e GLOBO passam atestado de idiota para os brasileiros. Só isso, nada mais.

O  que Lula fez foi dar munição para os bandidos.  

É o que pensam. que somos idiotas.
 

REFAZENDA2010-blog: Notícias da Hora 20:31 segunda 28/05/2012

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)


Não é a primeira vez que gilmar dantas apronta. Suas relações com o Dadá, Demosténes e até com o bicheiro Cachoeira estão vindo a público. A revistinha de sacangem, a sujinha veja, em seu desespero final, continua atacando antes de sucumbir definitivamente no mar de lama que ela mesmo criou. Imprensa não deveria ter partido, ou se restringir aos editoriais. Mas notícias forjadas, plantadas e certamente caluniosas devem merecer a devida reparação. E cadeia para os caluniadores. Para gilmar dantas só resta o impeachment! (Posts relacionados: 1 e 2)



Professores da UFAM: Carta Aberta dos Professores de Universidades Federais do Brasil à Sociedade

Só a universidade pública e gratuita poderá formar cidadãos conscientes e quem pensem um pouco além da sua carreira individual!

Carta Aberta dos Professores de Universidades Federais do Brasil à Sociedade


Hoje em Dia: BH bebe a 3ª água potável mais contaminada entre as capitais do país

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

O desgoverno mineiro só é bom em marketing!

BH bebe a 3ª água potável mais contaminada entre as capitais do país

Estudo da Unicamp aponta presença de cafeína e outras substâncias no líquido, indicando tratamento inadequado

Izabela Ventura - Do Hoje em Dia - 27/05/2012 - 11:54

A qualidade da água potável distribuída em Belo Horizonte é a terceira pior entre 16 capitais brasileiras analisadas em uma pesquisa inédita no Brasil, realizada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A reprovação é no aspecto de concentração de cafeína.

A presença dela na água que vai para o consumidor significa que o tratamento não foi 100% eficaz e que outras substâncias ou esgoto podem não ter sido totalmente eliminados no processo de tratamento. A situação é pior em São Paulo e Porto Alegre.

O estudo, do Instituto Nacional de Ciências e Tecnologias Analíticas Avançadas (INCTAA), do Instituto de Química (IQ) da Unicamp, revela que as substâncias encontradas, além da cafeína, são “potencialmente nocivas” à saúde humana. Isso significa que não é para se fazer alarde, mas as companhias de saneamento precisam ter atenção e melhorar os processos de tratamento.

Estudioso da qualidade das águas em Minas, o professor Robson Afonso, do Instituto de Ciências Exatas e Biológicas (Iceb) da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), explica que, se há cafeína, quer dizer que chá ou café foram parar no reservatório de abastecimento. E isso, segundo ele, só pode ter acontecido via fezes ou urina, evidenciando que o tratamento do esgoto não foi eficiente.

Além de cafeína, os cientistas da Unicamp encontraram, em todas as amostras do Sudeste brasileiro, concentrações variadas de atrazina, substância presente em herbicidas, e de triclosan, usada na fabricação de produtos de higiene pessoal. Continue lendo.

27 de maio de 2012

Carta Capital[Mino Carta]: Que diria Tucídides?

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

O Estado ideal não existe e talvez nunca tenha existido. A Grécia antiga e suas cidades estado eram sustentadas pela escravidão. O surgimento dos estados nacionais com fim do feudalismo na Europa só foi uma troca de poder. Um breve período do chamado bem estar social foi substituído pelo neoliberalismo. Hoje, acima os estados nacionais, os bancos.

Que diria Tucídides?

Pensadores de alentado calibre ao analisar a crise econômica mundial sustentam que o próprio capitalismo está em xeque. Trata-se, se bem entendo, de um monumental fenômeno de autofagia, algo assim como o neoliberalismo a deglutir o liberalismo nascido da Revolução Industrial inglesa e da Revolução Francesa, e codificado por Adam Smith. Pergunto aos meus perplexos botões se algo mais não estaria em xeque, de certa forma maior. A própria democracia, na sua concepção tradicional.

Sem precisar de lupa, o que vemos? Vemos o nosso mundinho dominado por oligarquias financeiras cujo peso específico se tem provado muito superior àquele dos governos de Estado. Amparados pelo terrorismo das agências de rating, os autores da valorização da produção de puro dinheiro em detrimento da produção de bens e serviços, assenhoream-se do destino da população global, crescente e cada vez mais desigual.

Onde fica a vetusta ideia de democracia, aquela sonhada pelos iluministas e pelos pais fundadores americanos? E até posta em prática em certos países e em certos momentos de forma quase satisfatória. Tomados de singular melancolia, os botões ousam evocar a Guerra do Peloponeso, travada entre a culta Atenas e a tosca Esparta. Vitória espartana, mas se Atenas chorou, Esparta não riu. Há quem saiba da história pela pena de Tucídides, um dos primeiros historiadores, se não o primeiro, a entender que inúmeros eventos podem ser previstos a partir da correta análise das circunstâncias que os precedem. Continue lendo.

Nassif: Cachoeira grampeou o Supremo?

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Cachoeira grampeou o Supremo?

Enviado por luisnassif, dom, 27/05/2012 - 12:48
Autor: Luis Nassif


À medida em que as peças do quebra-cabeça Cachoeira vão se juntando, vislumbra-se um quadro inédito na história do país. Tão inédito que ainda não caiu a ficha de parte relevante da opinião pública e, especialmente, do Judiciário. O desenho que se monta é uma conspiração contra o Estado brasileiro (não contra o governo Lula, especificamente), através de três vértices principais.

Havia o chefe de quadrilha Carlinhos Cachoeira. Sua principal arma era a capacidade de plantar matérias e escândalos, falsos ou verdadeiros, na revista Veja – o outro elo da corrente.

Durante algum tempo, graças ao Ministro Gilmar Mendes, seu principal operador – o araponga Jairo Martins – monitorou o sistema de telefonia do Supremo. E Cachoeira dispunha da revista Veja para escandalizar qualquer conversa, fuzilar qualquer reputação.

Essa é a conclusão objetiva dos fatos revelados até agora.

O que não se sabe é a extensão das gravações. Veja demonstrou em várias matérias – especialmente no caso Opportunity – seu poder de atacar magistrados que votavam contra as causas bancadas pela revista.

A falta de discernimento das denúncias, o fato da revista escandalizar qualquer conversa, a perspectiva de virar capa em uma nova denúncia da revista, seria capaz de intimidar o magistrado mais sólido. Continue lendo.

Estadão: Ministérios manobram para não cumprir Lei de Acesso

Se depender de solicitação vira ficção!

Ministérios manobram para não cumprir Lei de Acesso

Autoridades usam de artifícios e jogo de palavras para negar informações, ignorando a ordem da presidente Dilma de que transparência é regra

Alana Rizzo e Leonencio Nossa, de O Estado de S. Paulo

Dez dias após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor, autoridades alojadas na Esplanada dos Ministérios recorrem a manobras e jogos de palavras para impedir a divulgação de dados públicos.

Mesmo com a ordem da presidente Dilma Rousseff de que a transparência é regra e a fiscalização da Controladoria-Geral da União (CGU), os ministérios têm negado informações, em especial de áreas sensíveis e que envolvam indícios de irregularidades nas pastas.

A tensão dentro do governo aumentou com negativas, respostas incompletas e falta de empenho de alguns órgãos no cumprimento da nova legislação. Dos 189 pedidos feitos pelo Estado, apenas 24 foram respondidos. Cinco foram negados. Parte das respostas está incompleta e três estão em grau de recurso.

A resistência no Executivo provocou manifestações da CGU. E-mail encaminhado pela diretora de Prevenção da Corrupção, Vânia Vieira, aos Serviços de Informações ao Cidadão (SICs) de órgãos e entidades federais indica os subterfúgios que algumas pastas estavam usando para não responder aos pedidos. "Não devemos confundir pedidos genéricos com pedidos complexos, extensos ou que exijam grande volume de informações ou levantamento e organização das informações", censurou a representante do órgão de controle interno.

Vânia cobrou "boa vontade" dos órgãos, evitando ao máximo indeferir os pedidos sumária e totalmente. "Ressaltamos que é extremamente importante, sobretudo nestes momentos iniciais, que os pedidos sejam analisados com bastante atenção, evitando-se decisões apressadas ou sem a uniformidade desejável entre os diversos órgãos."

O último balanço da CGU aponta que até 24 de maio 4.262 pedidos foram registrados no sistema online de informações. Desses, 1.406 foram respondidos. Pesquisa feita pelo órgão com servidores públicos mostra que um dos grandes desafios da implementação da lei é a cultura. Os servidores têm receio da má utilização das informações, em especial por parte da imprensa, além do uso político dos dados. Os funcionários também acreditam que há solicitações "excessivas" e "descabidas", o que tomaria tempo, energia e pessoal das unidades para respondê-las. Continue lendo.

26 de maio de 2012

Estadão: Jobim nega pressão de Lula sobre STF para adiar julgamento do mensalão

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Pelo visto não durou um dia a mais nova armação da revistinha de sacanagem com o gilmar dantas. E quem desmente é gente do psdb também! Correção: gente do PMDB e serrista de coração, em 28/05/2012 às 22:07.

Jobim nega pressão de Lula sobre STF para adiar julgamento do mensalão

Ex-presidente teria se encontrado com Gilmar Mendes no escritório do ex-ministro da Defesa, segundo 'Veja'

O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim negou hoje que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha pressionado o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a adiar o julgamento do mensalão, usando como moeda de troca a CPI do Cachoeira.

Reportagem da revista Veja publicada neste sábado relata um encontro de Lula com Gilmar no escritório de advocacia de Jobim, em Brasília, no qual o ex-presidente teria dito que o julgamento em 2012 é "inconveniente" e oferecido ao ministro proteção na CPI, de maioria governista. Gilmar tem relações estreitas com o senador Demóstenes Torres (sem partido, GO), acusado de envolvimento com a quadrilha do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

"O quê? De forma nenhuma, não se falou nada disso", reagiu Jobim, questionado pelo Estado. "O Lula fez uma visita para mim, o Gilmar estava lá. Não houve conversa sobre o mensalão", reiterou. Continue lendo.

Novojornal: Araxá era núcleo financeiro de Cachoeira

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Araxá era núcleo financeiro de Cachoeira

A Bet Capital dona da empresa de cachoeira com sede na Coréia tinha uma filial de fachada em Anápolis, mas sua conta bancária era de Araxá

No final da primeira metade do século passado, Araxá era famosa pelo vistoso cassino. Hoje, a cidade mineira desponta como um dos núcleos financeiros da organização do bicheiro Carlinhos Cachoeira para disseminar o jogo de azar. Interceptações telefônicas e de e-mails, feitas pela Polícia Federal, revelam a existência de pelo menos cinco empresas da família Cachoeira, ou de seus sócios na cidade, e identificam ainda que parte da contabilidade da jogatina era comandada do Triângulo Mineiro.

O principal representante da família em Araxá é Paulo Roberto de Almeida Ramos, o Paulinho, irmão do bicheiro. Em junho de 2011, a Justiça determinou as quebras de sigilo fiscal e bancário dele e de suas cinco empresas instaladas na cidade: Sucos People Ltda., Paulo Roberto de Almeida Ramos Cia. Ltda., Araxá Factoring Comercial Ltda., Ramos Almeida Ltda. e Lotoara.

Aparentemente, Paulinho é um empresário da construção civil. Porém, a PF indica que ele e seu filho Thiago atuariam na operação da rede de jogos eletrônicos estruturada Brasil afora. Em Araxá, nasceu à mãe de Carlinhos, Maria José de Almeida Ramos, que morreu na semana passada. Uma das principais empresas que atuavam na jogatina eletrônica, a Bet Capital já teve como sócios Sebastião Ramos, o Júnior, irmão de Carlinhos, e Lenine Araújo de Souza, braço-direito do contraventor. A Bet Capital tinha uma filial de fachada em Anápolis, mas sua conta bancária era de Araxá.

Relatório da Operação Monte Carlo mostra que o próprio Carlinhos Cachoeira declarou que pediu empréstimo de R$ 9,9 milhões à Bet Capital. Mas, segundo a PF, as operações feitas na cidade não foram declaradas pela empresa e, em 2009, os “empréstimos não são suportados pela contabilidade da empresa e não passam por bancos nacionais, se de fato existirem”. Depois dos “empréstimos”, a Bet Capital se descapitalizou e foi declarada extinta em 2010.

Um dos sócios da Bet Capital é a Bet. CO., com sede na Coreia, diz a PF. De Araxá, os Cachoeira ainda operavam 88 terminais com o sistema “Cocadinha”, desenvolvido para gerenciar o modelo de apostas do jogo do bicho. O “Cocadinha” funcionava com quatro funções: operacional, movimentação diária, configuração e relatório. Todos relacionados ao jogo de azar. O sistema, esmiuçado no relatório da Monte Carlo, também era usado em Anápolis (GO) e na região do entorno do Distrito Federal, em Goiás, pontos de referência da organização da jogatina. Continue lendo.

IstoÉ: O jeito Thomaz Bastos de advogar

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

ALCANCE POLÍTICO
Nos últimos anos, Thomaz Bastos deu suporte jurídico ao
ex-presidente Lula, à presidenta Dilma Rousseff e a integrantes do PT - Foto: Bruno Miranda/FolhaPress - IstoÉ
O jeito Thomaz Bastos de advogar
 
Pela primeira vez na história do País, um ex-ministro da Justiça acoberta o silêncio de um contraventor perante os holofotes de uma CPI. Márcio Thomaz Bastos joga sua força no caso Cachoeira e levanta polêmica sobre seu modo de atuar

Claudio Dantas Sequeira e Izabelle Torres

Na última semana, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos protagonizou dois episódios capazes de gerar sérias controvérsias no mundo político e jurídico do País. Em um, exerceu pressão pública sobre o Supremo Tribunal Federal. Em outro, o mais visível e polêmico deles, colocou-se como um obstáculo para o trabalho que o Congresso Nacional pretendia realizar. Em ambos os casos, não praticou ilegalidades ao contrapor-se a dois poderes da República. Mas suas ações também não podiam ser vistas como meros atos rotineiros de um advogado criminalista. As atitudes do ex-ministro da Justiça estavam imbuídas de uma inegável e estrondosa conotação política. Márcio Thomaz Bastos e a maioria de seus clientes sabe que ele ainda é um homem poderoso, com influência sobre partidos, parlamentares e tribunais. Nos últimos anos, ele foi conselheiro de dois presidentes da República e deu suporte jurídico a vários integrantes da PT. Além disso, teve papel decisivo na nomeação de sete dos 11 atuais ministros do STF.

No caso mais emblemático, Márcio Thomaz Bastos, por vezes, parecia zombar do Congresso e dois contribuintes. Ele se postou ao lado do bicheiro Carlinhos Cachoeira durante audiência na CPI que investiga o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro montado pelo contraventor. Orientou seu cliente a ficar calado, para evitar produzir provas contra si mesmo, e com isso provocou a ira de deputados e senadores, que viam no depoimento uma esperança de avançar nas investigações. É indiscutível o direito constitucional de qualquer réu à plena defesa, independentemente da acusação ou malfeito que tenha cometido. Ninguém é obrigado a produzir provas contra si mesmo. Também é dever do advogado defender um acusado perante a Justiça, até mesmo quando este não dispõe de recursos. No entanto, a CPI é norteada por um processo muito mais político do que jurídico. E, como era sabido por todos os parlamentares presentes, Thomaz Bastos não permaneceu durante toda a sessão acomodado ao lado de um contraventor somente como um grande criminalista. Ele era o retrato de um ineditismo: pela primeira vez na história do Congresso, um ex-servidor público que ocupou a mais alta esfera do Judiciário nacional, dava cobertura e amparo ante os holofotes a um bicheiro, notório criminoso, que já se provou pernicioso ao erário. “Espero nunca mais encontrar o ex-ministro numa situação como essa”, disse o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ). Continue lendo.

25 de maio de 2012

Carta Capital: Cachoeira plantou notícias na revista Época

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

Escutas da PF

Cachoeira plantou notícias na revista Época

Reportagem da edição desta semana de CartaCapital, nas bancas a partir de sexta-feira 25, revela como o grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira plantou notícias também em veículos das Organizações Globo para fragilizar adversários. É um exemplo de como a quadrilha abastecia jornalistas investigativos por meio de arapongas para sedimentar seus interesses. Assinada por Leandro Fortes, a reportagem mostra também como o vice-presidente Michel Temer se tornou, desde o início da crise, interlocutor do Planalto com cúpula das Organizações Globo.

CartaCapital mostra como Idalberto Matias Araújo, o Dadá, considerado o braço direito de Cachoeira, negociou com o diretor da sucursal da revista Época em Brasília, Eumano Silva, a publicação de informações contra a empresa Warre Engenharia, uma concorrente da empreiteira Delta em Goiás. Por causa da reportagem plantada pelo grupo (“O ministro entrou na festa”), a Warre figurou na lista de suspeitas da Operação Voucher da Polícia Federal, que mais tarde resultou na queda do então ministro Pedro Novais (Turismo). A Warre acabou sendo inocentada.

Cachoeira era uma espécie de sócio oculto da construtora Delta, empresa para a qual seu grupo fazia lobby.

A revelação sobre as relações entre o grupo do bicheiro e a revista acontece na mesma semana em que Leonardo Gagno, advogado de Dadá, informou à CPI do Cachoeira que o trabalho do araponga (e de seu colega Jairo Martins de Souza) consistia em “abastecer veículos de comunicação”, e que “é notório que o interesse de Cachoeira era usar essas informações no mundo dos negócios”. Continue lendo.

JB: Simon pede pressão da sociedade pela quebra de sigilo da Delta nacional

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

O que dissemos aqui: "A CPMI vai mal, muito mal. empurrou-se para terça-29. Pelo que pudemos ver ontem, tudo vai dar em nada. Milhões devem ir às ruas, se se quiser que se apure alguma coisa. Tem ser algo do tamanho do Fora Collor, ou maior. A classe política não é suicida e  parte da velha e podre mídia está comprometida. Portanto há que se buscar informações nos sites e blogs independentes!"; não difere muito do que Simon disse: "– Jovens das chamadas redes sociais, terça-feira, às dez horas, vocês devem estar aqui, na frente do Senado, vocês devem vir aqui, porque a presença de vocês, com as mãos limpas, tornou-se realidade. Com a presença dos senhores, a Diretas Já se tornou realidade. Com a presença dos senhores, o presidente que tinha de ser afastado foi cassado. Com a presença dos senhores, a reunião de terça-feira abrirá as contas da Delta e abrirá as contas dos que devem ser policiados – disse Simon."

Simon pede pressão da sociedade pela quebra de sigilo da Delta nacional  
 
"Jovens das redes sociais, terça-feira, às 10h, vocês devem estar aqui, com as mãos limpas"
Jornal do Brasil

 
O senador Pedro Simon (PMDB-RS) voltou a criticar, nesta sexta-feira (25), a demora da CPI em quebrar o sigilo da Delta Nacional e convocar governantes para esclarecer suas relações com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Ele também conclamou a juventude a acompanhar, na próxima terça-feira (29), reunião em que a comissão deverá votar requerimentos com esses objetivos.

– Jovens das chamadas redes sociais, terça-feira, às dez horas, vocês devem estar aqui, na frente do Senado, vocês devem vir aqui, porque a presença de vocês, com as mãos limpas, tornou-se realidade. Com a presença dos senhores, a Diretas Já se tornou realidade. Com a presença dos senhores, o presidente que tinha de ser afastado foi cassado. Com a presença dos senhores, a reunião de terça-feira abrirá as contas da Delta e abrirá as contas dos que devem ser policiados – disse Simon.

Na avaliação do parlamentar, depois das primeiras semanas de trabalho, a CPI “parece ter se afogado sem ter dado um único mergulho”. Simon criticou os depoentes que ficaram calados diante dos membros da comissão, a passividade de parte dos que têm obrigação de investigar e também acordos denunciados na imprensa que visariam evitar a convocação de governadores à CPI.

O senador lembrou ainda a instauração de outras CPIs na história recente do país e afirmou que a corrupção só terminará com o fim da impunidade.

- O capítulo do dia são os pecados do Cachoeira. Que já foram os do tesoureiro da campanha; que já foram os dos anões do Orçamento; que já foram os dos sanguessugas das ambulâncias, dos precatórios, das privatizações, dos Correios, da compra de votos nos fundos de pensão, do mensalão, dos bingos, dos cartões corporativos. Tudo indica que outros capítulos virão, no rastro da impunidade que já se desenha, mal começada a CPI – lamentou.

Na avaliação de Simon, o investimento em educação é também um dos caminhos para mudar esse cenário.

- A educação leva a uma melhor escolha dos governantes que, sem a impunidade de agora, não se deixarão levar pelos acenos corruptores do poder – argumentou. Continue lendo.

Nassif: Como era a parceria Veja-Cachoeira

(Experimente o uso dos marcadores - tags, abaixo de cada post, em vermelho, é mais rápido do que a busca, acima, a esquerda.)

A CPMI vai mal, muito mal. empurrou-se para terça-29. Pelo que pudemos ver ontem, tudo vai dar em nada. Milhões devem ir às ruas, se se quiser que se apure alguma coisa. Tem ser algo do tamanho do Fora Collor, ou maior. A classe política não é suicida e  parte da velha e podre mídia está comprometida. Portanto há que se buscar informações nos sites e blogs independentes!
Numa extensa reportagem, Nassif trás as relações  da revistinha de sacanagem com o bicheiro.

Como era a parceria Veja-Cachoeira

Enviado por luisnassif, qui, 24/05/2012 - 18:29
Autor: Luis Nassif

Hoje, que o araponga Jairo se apresentou como repórter, o capítulo "O araponga e o repórter", da série "O caso de Veja", onde mostro em detalhes a associação criminosa entre as duas organizações: a de Cachoeira e a Abril. Lembrando que a série foi escrita em 2008. De lá para cá aprofundaram-se as relações criminosas entre as duas organizações.

O araponga e o repórter. Leia tudo!

Nassif

Vídeos REFAZENDA2010-blog: Lang Lang!

A TV Brasil o definiu como o maior pianista do mundo. Deve ser mesmo. Lang Lang está no Brasil novamente. O primeiro vídeo mostra a descontração brasileira(zorra), numa diferente interpretação coreografada.(Tico-tico no Fubá, YOBA, Chopin, Litz, Mendelssohn) Clique aqui, aqui e aqui, para vídeos, a maioria musicais!
Bom dia!

Youth Orchestra of Bahia and Lang Lang - Tico-Tico no Fubá
Citação do vídeo: "The Youth Orchestra of Bahia - YOBA performs Zequinha de Abreu's Tico-Tico no Fubá on the "Lang Lang Inspires" project, promoted by the Southbank Centre. The concert was held on May 21, 2011, at the Royal Festival Hall, in London (UK), with megastar pianist Lang Lang and with conduction of 17-year-old Venezuelan Ilyich Rivas. This version of the composition was arranged by YOBA tubist Jamberê."


Lang Lang Encore at the Berlin Philharmonic on Jan 31st 2009
Chopin Etude No. 3, Op. 10 in E major

Lang Lang plays Liebestraum[Liszt]

Lang Lang - Mendelssohn Piano Trio No. 01, Part 01
"Lang Lang Performs Mendelssohn Piano Trio No. 01
Violin: Andreas Röhn
Cello: Sebastian Klinger
Recorded at Herkulessaal, Residenz München, 2007"


Atualização às 03:53

24 de maio de 2012

NovoJornal: Walfrido dos Mares Guia: O exemplo de sucesso pela traição; mais Minas247


Walfrido dos Mares Guia: O exemplo de sucesso pela traição


De professor particular a político e mega empresário. A vida de Mares Guia comprova que para se ter sucesso não se pode ter amigo nem ética


Walfrido dos Mares Guia de professor particular de matemática à estudantes que se preparavam para disputar o vestibular na década de 70 em BH transformou-se em político e mega empresário. Tudo após entrar na política no início dos anos 80 pelas mãos do ex-governador Helio Garcia quando ocupava o cargo de prefeito de Belo Horizonte, indicado por Tancredo Neves. Seu primeiro “trabalho”, desempenhado com sucesso, encomendado por Garcia, foi convencer seu irmão, um dos fundadores do PT em Minas, a trair e abandonar o partido retardando em anos sua implantação no Estado.

O bom desempenho no primeiro “trabalho” o credenciou a ser escalado por Helio Garcia como mediador e executor das diversas negociações políticas que culminariam em traição, como ocorreu com todos os vereadores do PMDB com mandato na Câmara Municipal de Belo Horizonte na gestão de Garcia. Segundo conterrâneos de Walfrido, “este procedimento é comum em sua família”. Porém, como previsível, não durou muito para que a criatura traísse também seu criador. Indicado por Garcia para ser vice na chapa de Azeredo que concorreu e ganhou as eleições para o governo de Minas em 1996, assim que assumiu a vice-governadoria, Walfrido abandonou Garcia e seu grupo.

Não fugindo de sua tradição, teve comportamento idêntico com Azeredo. Autor material e intelectual das privatizações assim como das “negociações”, pouco ortodoxas ocorridas no governo de Azeredo, eximiu-se das responsabilidades, porém, ficou com os benefícios e ganhos financeiros. Embora tenha ganhado muito dinheiro nos diversos governos de Garcia, foi no de Azeredo e aliado a Daniel Dantas que consolidou sua fortuna. Contrariado pelo PSDB, quando Serra era Ministro da Saúde, aderiu através do PTB ao PT, partido que fora sua primeira vítima.

Chegou ao governo do PT ao aproximar-se de Lula através de Paulo Okamotto, ex-metalúrgico que trabalhou como fresador de ferramentaria na Inbrac, ocupando a diretoria de finanças do sindicato dos metalúrgicos do ABC em 1981, no primeiro mandato de Jair Menegueli. Cumprindo mais dois mandatos como segundo secretário e diretor do departamento jurídico. Em 1989 coordenou, junto com José Dirceu, Cezar Alvarez e Ruy Falcão, a primeira campanha do Presidente Lula. Continue lendo.


Brasil247[Minas]: Lula, Walfrido e a armadilha para Aécio Neves em Minas

Carlos H. Peixoto [Crônicas da KBR]: Operação Espírito de Porco

O escritor Carlos H. Peixoto retorna com mais um artigo, novamente em duas partes, a séria, abaixo e a sátira você lê na continuação ao pé do post! (Posts relacionados: 1 e 2)



OPERAÇÃO ESPÍRITO DE PORCO

KBR - imagem enviada pelo autor


Existem dois tipos de Operação Especial: as que são um sucesso e as que, mesmo sendo um fracasso, são um sucesso também.

Prender corrupto no Brasil é como enxugar gelo — raramente o meliante fica trancafiado por mais de setenta e duas horas. Nos últimos 40 anos, o Supremo condenou por crime de colarinho branco apenas um político. De tudo que é desviado pela via da corrupção, apenas 15% retorna aos Cofres Públicos. Bem conversado, os peixes grandes da iniciativa pública e da privada — os mandantes —, além de não ficarem em cana, terão o prazer de usufruir da grana em outros paraísos. É só esperar a poeira baixar, no máximo até o próximo escândalo.
De 2003 a 2010 a Polícia Federal realizou 1062 operações especiais. Para que a PF consiga levar adiante sua missão, muitos são os percalços enfrentados pelos Delegados e Agentes, sejam de ordem interna, política, judicial e/ou administrativa. Por toda parte há inimigos e espiões.

Parafraseando All Ries e Jack Trout: a batalha crucial do marketing de guerra policial é travada na mente do cidadão. Se a primeira vítima da guerra é a verdade, então o maior aliado do General é a propaganda. A Polícia Federal conhece a cartilha midiática. Ao mexer com tubarões de costas largas, o sucesso da missão depende principalmente de ter a opinião pública a seu favor (da PF). Portanto, o nome da operação é o primeiro passo para que o trabalho da Polícia tenha repercussão no mundo do crime.

Como vivemos na sociedade do espetáculo, se o indigitado não ficar preso e ainda tiver o privilégio de não pagar um centavo por seu crime, ao menos o elemento terá sido exposto ao julgamento popular. De forma geral, a PF vem fazendo um belo trabalho. Noutros tempos, delegados e agentes federais eram convocados pelo Presidente da República para confiscar boi gordo no pasto — foram tempos de inflação alta, vacas magras, quando a Polícia Federal, sucateada, operava à sombra do Engavetador Geral da República. Os ventos mudaram, e das operações fiscais de que tivemos notícia a melhor de todas foi a Operação Espírito de Porco. Continue lendo.