2 de fevereiro de 2012

Estadão: Desigual, Brasil assiste a crescimento de mercado de luxo

Se o modelo continuou capitalista, as margens de lucro altíssimas - maior que o famigerado Custo Brasil, já se enxerga bem, o fabuloso Lucro Brasil - que aliado a um generoso oferecimento de crédito, possibilitam o crescimento vigoroso da atividade econômica, capitaneado pelo comércio. Lógico que tudo estribado no aumento do emprego, com alguma coisinha das políticas sociais. Num País de consumo reprimido há décadas, ou sempre... , esse boom pode ser longo. Maior demanda, maior enriquecimento das classes produtoras, já as produtivas se contentam com pouco, muito pouco. Pena.

Desigual, Brasil assiste a crescimento de mercado de luxo

Reality show sobre mulheres ricas evidencia aumento da classe alta; analistas dizem que crescimento da renda dos mais pobres é insuficiente.


BBC-Brasil

02 de fevereiro de 2012 | 9h 06

Uma década atrás, parte da elite brasileira estava tensa e insegura em relação ao futuro com a chegada do ex-operário Luiz Inácio Lula da Silva ao poder. Mas no fim das contas, os ricos ficaram mais ricos.

"Quando (o ex-presidente) Lula chegou ao poder, toda a classe alta brasileira ficou muito preocupada. Nós achávamos que ia ser terrível", diz a arquiteta Brunete Fraccaroli, uma das cinco milionárias do reality show Mulheres Ricas, da TV Bandeirantes, que mostra todas as semanas como é a vida dos super ricos, num dos países mais desiguais do mundo.

"Mas o presidente Lula fez um ótimo governo. Os ricos continuaram ricos e os pobres também têm um pouco mais de dinheiro", completa a milionária, que já nasceu rica e adicionou alguns milhões à fortuna da família com seu trabalho como arquiteta e designer de interiores. Continue lendo na próxima página e mais três.

Um comentário:

Lucas Abreu Costa disse...

O reality show, que, se não me engano, passa nas noites de segunda, na Band, é, no mínimo, divertido. Mulheres bem produzidas, bem tratadas, entre taças de champagne consumidas inclusive pela manhã, em meio a alfinetadas recíprocas entre essas peruas "socialites". Isso sem falar nos comentários escancarados sobre os menos favorecidos, do tipo "pobre não vai lá não, porque tem que ir de helicóptero" quando se referiam a Angra dos Reis).
É programa pra ver sem parar pra pensar, se não..