21 de fevereiro de 2012

Agência Brasil: Adaptação ao fim do horário de verão deve começar com antecedência, alerta neurologista

Particularmente eu não tenho nenhum apreço por essa coisa. Totalmente antinatural. Ficamos alguns anos sem ele. A desculpa é sempre o consumo energético em horário de pico. Em um regime normal de chuvas não se teriam maiores problemas. Caso contrário entram em funcionamento as termoelétricas. Daí você fala, aumenta a poluição. Sim, bem menor do que a provocada pela enxurrada de automóveis circulando no mesmo horário de pico, em decorrência do eternamente deficiente e oneroso transporte público. 

Quanto ao caso específico, o maior vilão dessa história toda, pelo menos no âmbito residencial, é o perdulário, guloso e anacrônico, chuveiro elétrico. Por menos de trinta reais, ele pode gastar 30-40% da sua conta de energia elétrica. Não vejo incentivo maior para o uso da energia solar (existem equipamentos alternativos até de PET) ou ainda, do aquecimento a gás. Bem, a economia global de energia no período é pífia. E, principalmente, esse famigerado horário de verão é cruel com o homem do campo, com os trabalhadores e com a estudantada!

E a questão primordial, a saúde, o neurologista explica abaixo:

Adaptação ao fim do horário de verão deve começar com antecedência, alerta neurologista

20/02/2012 - 16h30

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil


Brasília – O horário de verão acaba no dia 26 de fevereiro, mas quem tem mais dificuldade em se adaptar à mudança deve começar a preparar o organismo com antecedência, antecipando o horário de dormir cerca de dez minutos a cada dia. A orientação é do coordenador do serviço de neurologia do Hospital Anchieta, Ricardo de Campos. “Ao invés de esperar o dia da virada do horário, o interessante é que a cada dia fosse dormindo dez minutos mais cedo, até estar dormindo uma hora mais cedo, e o corpo não vai padecer”.

O médico explica que as mudanças sentidas pelo organismo com o início ou o fim do horário de verão são por causa de hormônios como o cortisol e a melatonina, que regem o nosso relógio biológico e são secretados de acordo com o tempo de exposição ao sol e à escuridão. “Dessa forma, todo o metabolismo do organismo passa a se pautar de acordo com as taxas de secreção desses hormônios. Quando uma hora do dia é suprimida ou acrescentada, passa a ter alterações nesse metabolismo”. Continue lendo.


2 comentários:

Lucas Abreu Costa disse...

Horário de verão é polêmico. Mas pra quem tem que acordar cedo, não é coisa de Deus. Quem fala que não sente alteração nenhuma ou até mesmo que gosta, é porque não tem hora pra acordar. Pouca economia pra muito desconforto. Você acorda no escuro, fica o dia inteiro com sono, irritado, e não consegue dormir cedo à noite porque está um calor dos infernos. Aí ficam as luzes acesas, tv, computador etc.

Lucas Abreu Costa disse...

Não precisa de adaptação ao fim do horário de verão. Ele só é bom quando acaba!!
Já ao início, haaaaja adaptação!!