9 de abril de 2012

Redação do REFAZENDA2010-blog: Especial BH - Triste Horizonte, com jornais e revista.

Triste Horizonte

Belo Horizonte está se tornando uma cidade, cada vez mais, elitizada. Conservadora sempre foi. Mas agora o que vemos é muito pior. BH tornou-se a cidade dos negócios. Achamos que alguma coisa tinha mudado no período das administrações do PT. Pura ilusão. Os conservadores venceram!

Por um lado a brutal especulação imobiliária, particularmente, a questão da Granja Werneck, já divulgada pelo Novojornal, agora, nacionalmente, pela Carta Capital, abaixo,

Foto aérea da Granja Werneck - Google Earth, por REFAZENDA2010-blog

Última área verde de Belo Horizonte, que vai receber empreendimento imobiliário, tem tamanho equivalente a 88 estádios do Maracanã. Foto: Gabriel Bonis CC

de outro, a suposta proteção de áreas verdes, na verdade o fechamento em feudos, de bairros que não são condomínios fechados.

Cobertura do Patrick's Day - Fotos RFAZENDA2010-blog 17/03/2012

Nos bairros menos sofisticados as coisas são diferentes. A convivência é pacífica e sem melindres. Os frequentadores de um bar acompanham o clássico, Atlético X Cruzeiro, mas os automóveis trafegam.


Bar do Salomão - Esquina Rua Ouro, Amapá e Palmira na Serra - Foto RFAZENDA2010-blog 08/04/2012

Um dos motivos dessa situação está muito bem definido no texto, link acima, de Gabriel Bonis da Carta Capital: “O projeto, de autoria do prefeito Márcio Lacerda (PSB), foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal, onde a oposição praticamente é nula e PT e PSDB são aliados.”[gm]

É natural, no estado democrático de direito, que os grupos defendam seus interesses, mas cabe ao Poder Público discernir o que é apenas interesse privado em oposição ao interesse da população como um todo.

Na batalha judicial: o caso do evento do Dia de São Patrício, que se repetiu ontem, de outra forma, no show de Maria Rita, ambos, no Parque das Mangabeiras. No primeiro não se viu tumulto algum, e pelo visto, muito menos no segundo.

Visão do trânsito no evento do Patrick's Day às 18:00 Foto RFAZENDA2010-blog 17/03/2012

Só 10.000 ingressos foram disponibilizados para o emocionante show de Maria Rita - Foto HD Luiz Costa
Organizadores do evento alegaram que os moradores do bairro da zona Sul exigiram menos ingressos para evitar tumultos

A realização da Copa do Mundo traz esperanças ao empresariado. Mas sendo o evento pontual, muitos empreendimentos não se sustentarão no longo prazo. O hotel da Pampulha, aprovado sabe-se lá como, e em virtude da pressão popular, não vingou, pelo menos por enquanto, pois a empresa, mostrando bom senso, desistiu do empreendimento. Outro exemplo que também não se concretiza é a doação, pelo desgoverno mineiro, do prédio do IPSEMG na praça da Liberdade.

Tem uma hora que a cidade não pode mais crescer. Fica inviável. Os serviços públicos já ineficientes, tornam-se desastrosos.

Exemplo maior disso são as constantes quedas de árvores e galhos pela cidade. Antes tinha-se um serviço regular de poda. O que vemos hoje é apenas a poda pela CEMIG, que só cuida da proteção da rede elétrica. Terminando a gestão do prefeito dos negócios, a pasmaceira continua a mesma. O alcaide se furta a resolver o problema e as quedas e os prejuízos continuam. E ainda almeja mais um mandato.

Rua Piauí, resquecício da chuva de sexta-feira(6) Foto RFAZENDA2010-blog 08/04/2012

A obra da Savassi permanece em compasso de espera. No quarteirão da avenida Getúlio Vargas entre Cristovão Colombo e a rua Paraíba, sentido Serra, o tráfego continua só em duas pistas, ou melhor, uma pista. Obviamente, espera o mandatário a proximidade das eleições para a inauguração da obra. Enquanto isso o trânsito fica travado. Bem, muitos comerciantes já dançaram!

As grades que atrapalham o trânsito na av. Getúlio Vargas. Foto RFAZENDA2010-blog 08/04/2012

Outro ponto: suas ciclovias na região Centro-Sul levam do nada a lugar nenhum e já estão sendo degradadas. A da rua Professor Morais é um triste exemplo. Ciclovia útil seria na Getúlio Vargas, uma questão de boa vontade.

Na Rua Professor Morais, carros estacionam no trecho exclusivo e blocos de concretos que delimitam a via estão quebrados. Foto de Glaydston Rodrigues/EM/D.A.PRESS
Enquanto isso a ligação histórica da PBH com as empresas de ônibus é nefasta. O BRT atrasa ainda mais o sonho que virou o milênio, do metrô, como também, o novamente candidato, em sua pressa eleitoral, impermeabilizou várias regiões e as consequências, as chuvas já mostram os estragos.

O interesse principal do prefeito é a implantação de radares. De velocidade e de avanço de sinal. Os de avanço de sinal são necessários, mas alguns de velocidade, em região de pequeno fluxo de pedestres, mostram-se de natureza puramente arrecadatória.

Aliada a isso, a atuação sorrateira da Guarda Municipal, enquanto agentes de trânsito. Multam na surdina e sem advertência. Sem efeito pedagógico ou educativo. Em conversa informal com um guarda municipal em um posto de saúde, explicou-me o agente, que os colegas são obrigados a cumprirem metas e o mesmo preferiu não exercer a função no trânsito!

Neste triste cenário e sem opositor plausível, vemos o poste, cria do sr. Pimentel e do sr. Aécio caminhar para um segundo mandato. Você vai deixar?

3 comentários:

Enfermagem com Saúde disse...

Parabéns a REFAZENDA2010, concordo plenamente com esta exposição, que relata a verdadeira e triste situação em Belo Horizonte.

peixoto disse...

Mancini, bela matéria sobre a degradação de BH; em verdade a natureza virou um "negócio" como outro qualquer - dentro dos condomínios fechados existe todo aquele lero-lero de preservação, sustentabilidade, qualidade de vida (para poucos), enquanto do lado de fora a cidade continua um lixo...

Salve,

Carlos Peixoto

Lucas Abreu Costa disse...

Bem detalhada a "reportagem" sobre BH.
As fotos ilustram bem o transtorno eterno que as inacabáveis obras da Savassi trazem para a população.
Sem falar que não pode chover na cidade, pois não existe infraestrutura para isso.
É bem provável mesmo que a Savaasi só seja inaugurada na época de campanha eleitoral.
E, como já disse noutras ocasiões, não existe espaço para promover eventos bacanas na cidade.
E os moradores de certos bairros são donos não somente do seu lote/casa, como também das vias públicas, etc, etc.