24 de abril de 2012

Estado de Minas: Laudo da Sudecap aponta construtora como responsável por queda de prédios no Buritis

(Último post relacionado)

Destaco: "Conforme o laudo, as quebras de tubulações da Copasa, que acarretaram infiltração de água pelas trincas, somada à contribuição das águas de chuvas intensas, agravaram e aceleraram o deslizamento."

Visão da encosta na Rua Laura Soares Carneiro após queda e demolição de prédios - Cristina Horta EM
Laudo da Sudecap aponta construtora como responsável por queda de prédios no Buritis

Luana Cruz -
Cristiane Silva
Publicação: 24/04/2012 11:28 Atualização: 24/04/2012 12:13


O laudo da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) apontou falha na fundação do Condomínio Art De Vivre, construído pela Pódium Engenharia. Conforme o relatório, o problema aliado a outros fatores provocou a queda de prédios na Rua Laura Soares Carneiro, no Bairro Buritis, Região Oeste de Belo Horizonte. A Copasa e a prefeitura não estão isentas de responsabilidade, por causa do volume de infiltração de água no solo e da demora nas soluções de drenagem.

O laudo é conclusivo em relação à responsabilidade pelos desmoronamentos, diferentemente do relatório apresentado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG) - com base em análises do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia ( Ibape-MG) -, que não apontou responsáveis pelos danos aos imóveis.

Segundo relatório da Sudecap, assinado pelo engenheiro José Eduardo de Aguiar, houve falha no corte do talude, que fica atrás dos prédios. “O descalçamento do aterro/encosta para construção de edificação (...), agravado pelo aumento da umidade do solo pelas chuvas (…) foi o agente deflagrador do processo final de deslizamento que culminou na ruptura da encosta da Rua Laura Soares Carneiro”, diz o laudo.

O caso dos prédios se arrasta há seis meses. Moradores foram retirados dos imóveis em outubro de 2011, quando um conjunto de prédios foi interditado por causa do risco de desabamento. Em 10 de janeiro deste ano, o edifício Vale dos Buritis desabou e o perigo ficou ainda maior. Primeiramente, a Justiça deu prazo de 48 horas para a Podium Engenharia, responsável pelo Art de Vivre, demolir a estrutura. Mas, diante do silêncio da empresa e da impossibilidade de acioná-la juridicamente, o juiz Renato Luís Dresch deu à PBH autonomia para a derrubada.

Agravante

Conforme o laudo, as quebras de tubulações da Copasa, que acarretaram infiltração de água pelas trincas, somada à contribuição das águas de chuvas intensas, agravaram e aceleraram o deslizamento. Mas, a responsabilidade pelos danos e prejuízos causados deve-se, principalmente, às obras de terraplanagem e às deficiências nas estruturas de contenção instaladas na encosta pela construtora. Continue lendo.

Nenhum comentário: