17 de abril de 2012

O Tempo: Contrato da Delta com a PBH é suspeito de sobrepreço

Cachoeira, o Rei do Brasil!!!(Último post relacionado)

Destaco:  "Se eu botar 30 milhões na mão de um político, eu sou convidado para coisa para c... Pode ter certeza disso. Te garanto", diz Cavendish. Em outro trecho, é possível ouvir: "Estou sendo muito sincero com vocês: seis milhões aqui, eu ia ser convidado. Ô senador fulano de tal, se convidar, eu boto o dinheiro na tua mão". Justificou o interlocutor que a declaração foi em tom de bravata. Ah, tá!...

Participação.Empresa do esquema de Cachoeira presta serviço para obra do BRT da avenida Pedro I

Contrato da Delta com a PBH é suspeito de sobrepreço

Relatório do TCE aponta preço até 350% maior do que o de mercado

ISABELLA LACERDA

Publicado no Jornal OTEMPO em 17/04/2012

A Prefeitura de Belo Horizonte mantém um contrato de prestação de serviços com a Delta Construções S/A, apontada pela Polícia Federal como integrante do esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira, que está sob suspeita de sobrepreço de até 350%. A mesma empresa concorre em outro processo licitatório na capital mineira para intervenções na avenida Cristiano Machado, no BRT São Gabriel. A licitação está suspensa por decisão do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE).

Relatório. As obras de duplicação da avenida Pedro I e de implantação do BRT continuam, mas TCE investiga o sobrepreço de alguns itens
CRISTIANO TRAD- 23.2.2012 OT
No contrato em vigor, a Delta venceu a licitação, em dezembro de 2010, ao lado da Cowan S.A , para a execução de serviços de duplicação e alargamento da avenida Pedro I, incluindo a implantação do chamado transporte rápido de ônibus (BRT). A licitação foi feita na modalidade concorrência pública por menor preço.

Está sob análise do Tribunal de Contas do Estado, no entanto, relatório elaborado pela equipe técnica do órgão que indica superfaturamento de mais de R$ 6 milhões - alguns itens apresentariam sobrepreço de 350%. O parecer deve ser levado a julgamento no órgão, o que poderá impedir a continuidade dos trabalhos.

Editoria de Arte de O Tempo
 
No caso do BRT São Gabriel, no fim do mês passado, o TCE impediu que o processo de licitação prosseguisse por "vícios no procedimento". Ao lado de outras 36 empresas, a Delta disputa a concorrência, orçada em R$ 44,3 milhões. Segundo relatório elaborado pelo conselheiro Eduardo Carone Costa, falhas como a não-disponibilização da íntegra do edital pela prefeitura, a classificação apenas de empresas com mais de dez anos de atuação e a inobservância de prazos são fatores que podem induzir a um direcionamento da licitação, motivo pelo qual foi pedida a suspensão. Continue lendo.

Nenhum comentário: