12 de julho de 2012

Novojornal: Pesquisa eleitoral de BH foi feita para favorecer Lacerda


Pesquisa eleitoral de BH foi feita para favorecer Lacerda

Pesquisa eleitoral encomendada e divulgada em BH escolheu por sorteio apenas bairros beneficiados por obras da administração de Lacerda    

Nem mesmo iniciam-se as eleições municipais de 2012 e as velhas práticas eleitorais demonstram-se resistentes, mesmo diante da nova legislação eleitoral que obriga maior transparência na realização e divulgação de pesquisas pelos veículos de comunicação. Instrumento de marketing, as pesquisas eleitorais representam praticamente 30% do que é investido nas campanhas dos candidatos majoritários nas grandes cidades.

A Justiça Eleitoral, no intuito de dar maior transparência a tão desmoralizada pesquisa eleitoral, criou um portal na internet para registro das mesmas, disponibilizando os principais dados sobre a consulta, tais como, quem a realizou, quem a pagou, assim como os métodos utilizados na realização da mesma. Evidente que este portal representa um grande avanço na busca de maior transparência para as eleições, porém, mesmo assim a velha prática de manipulação conseguiu sobreviver.
 
Exemplo disto é o que ocorreu em relação a pesquisa publicada pelo Jornal "Estado de Minas", nesta quarta feira (11), apresentando o candidato Marcio Lacerda (PSB) com melhor avaliação, seguido de Patrus Ananias ( PT). O articulista na reportagem do jornal chega a afirmar que “haveria um empate técnico”, pois a margem de erro seria de 4 %. Ocorre que, ao analisar os “Métodos de Pesquisa”, registrado no TSE/TRE-MG, verifica-se que os bairros pesquisados foram escolhidos por sorteio. Ou seja, não se levou em conta critérios técnico e estatísticos baseados em  proporção ao número de eleitores da capital. Continue lendo.

Um comentário:

Lucas Abreu Costa disse...

Pesquisa manipulada ou tendenciosa é um perigo. Elas têm o poder de influenciar grande parte dos eleitores, notadamente os indecisos, ou, pior, os que têm o péssimo hábito de votar em quem as pesquisas apotam como possível vencedor.