28 de março de 2012

Estado de Minas; Mais de 50 estabelecimentos foram fechados na Savassi em 12 meses

Obra de campanha do prefeito que arrasta-se na maior lerdeza possível. Parece que está esperando outubro menos três meses chegar. Enquanto isso, o pedestre pena, o trânsito também. Os comerciantes, muitos já dançaram!

Mais de 50 estabelecimentos foram fechados na Savassi em 12 meses 

Quem ficou conta os dias para o retorno dos bons negócios

Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas

Publicação: 28/03/2012 06:00 Atualização: 28/03/2012 07:34

Fim da reforma está previsto para maio: boas expectativas dos lojistas - Foto Cristina Horta/EM/D.A. Press
Orçada em R$ 10,4 milhões, a polêmica obra da Savassi completou um ano, no domingo, com números nada agradáveis, segundo pesquisa divulgada nessa terça-feira pelo Sindicato dos Lojistas do Comércio de Belo Horizonte (Sindilojas-BH), em parceria com a Federação do Comércio do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG). O estudo apurou que 51 pontos de vendas da região fecharam as portas desde o início das intervenções, período em que 65% dos empresários declararam queda de até 70% nas vendas. A intervenção, que promete deixar a área com visual de Primeiro Mundo, deve ser concluída em maio. A partir daí, os empresários que suportaram o período de vacas magras esperam o retorno dos clientes e das boas vendas.

A pesquisa das duas entidades não levantou o número de vagas extintas na área nos últimos 12 meses, mas o presidente do Sindilojas-BH, Nadim Donato, estima que em torno de 350 funcionários perderam seus empregos. Só a livraria Café Travessa, fechada há duas semanas, contava com 25 funcionários. O encerramento das atividades atingiu empresas de vários portes, desde o pequeno Bar Coiote, na Alagoas, à gigante Ponto Frio, na Avenida Getúlio Vargas.

Vários motivos levaram ao fechamento das 51 lojas. A queda nas vendas é a principal causa: 40% dos entrevistados que mantêm o comércio aberto responderam que o prejuízo nos últimos 12 meses varia de 20% a 50%. Outro entrave que levou ao fim dos 51 pontos de vendas é o elevado reajuste dos aluguéis.

"Empresários não aguentaram e encerraram os negócios. Aqueles que continuam funcionando, além de ainda sofrerem com queda nas vendas, agora enfrentam o aumento dos valores dos contratos de aluguel. Recebemos informações de que a valorização do metro quadrado está acima de 50%", lamenta Donato. Continue lendo.

Um comentário:

Lucas Abreu Costa disse...

Não transito mto a pé na região da Savassi.
Não sabia do fechamento da Livraria Café Travessa. Que pena..
Mas que a obra está "rendendo" mto, em todos os aspectos, acho que está.
E, sinceramente, os ciclistas que me perdoem, mas a topografia de BH não permite tornar a bike um meio de locomoção seguro, à exceção de poucas regiões planas existentes na cidade. Sem falar que é preciso reeducar os motoristas, no sentido de respeitar os ciclistas.