27 de dezembro de 2014

CMI [Emanuel Cancella]: Globo ou o pau que dá em Chico dá em Francisco

Realmente a grobo é um caso perdido e está de doer! Ontem por acaso, vimos o mau dia Brasil. Chico Pinheiro está em férias, seu substituto, um tal de pachelle, mostra-se um moralista exacerbado. É a velha puliça da grobo, que patrulha a tudo e a todos. Na vida privada, talvez, ou melhor, quase com certeza, cada um deve ser bem diferente do que apregoa. Cínicos! Quanto ao texto abaixo, reflete a indignação de quem luta pela e trabalha na nossa Petroleira e que vê, a todo instante, ataques desmesurados, de entreguistas conhecidos, que arrebentam a Empresa, arrebentam o País. E depois, cinicamente, repercutem o fel que essa mesma  imprensa marrom fermentou!

relacionado.

CMI: Globo ou o pau que dá em Chico dá em Francisco

Por Emanuel Cancella* 26/12/2014 às 16:57

A TV Globo sonegou o imposto de renda na transmissão da Copa do Mundo de 2002.

O cidadão comum cai na malha fina, muitas vezes por um erro fortuito na declaração. Já a maior emissora do país faz contrato em paraíso fiscal, para fugir das responsabilidades sociais, se apropriando de recursos públicos que iriam para a educação, saúde e obras de infra-estrutura.

Enquanto lesa os cofres públicos, a Globo entulha a mente dos brasileiros de porcarias e, como se fosse pouco, ainda torce contra o time da casa. Tem semeado o pânico e enfatizado notícias sobre investidores norte-americanos que vêm entrando com processos na Justiça contra a Petrobrás.

A última delas foi uma ação coletiva, por iniciativa de moradores da cidade de Provance, que se sentiram lesados na compra das ações da empresa brasileira. No entanto, a queda no valor das ações de petróleo não está atingindo apenas a Petrobrás. Shell, Chevron, Total, Gasprom e as demais estão tendo prejuízos imensos, com a queda do valor do barril de petróleo no mercado internacional.

Que tal se nós, cidadãos e contribuintes brasileiros, a exemplo dos cidadãos norte-americanos, também iniciássemos um amplo movimento, por nos sentirmos lesados diante da sonegação fiscal das Organizações Globo?

Ou a Justiça cobra da Globo o que nos deve, com juros e correção monetária, ou vamos recorrer junto à Receita Federal exigindo isenção do pagamento do Imposto de Renda. Por que só a trilionária Rede Globo pode sonegar?

A sonegação é a maior de todas as formas de corrupção. Trata-se da apropriação indevida de dinheiro que deveria ser destinado ao financiamento de escolas, hospitais públicos, creches, estradas, saneamento.

O Globo faz lobby em favor das empreiteiras de petróleo norte-americanas, alegando que as prestadoras de serviço brasileiras estariam sem moral para tocar nossas obras. O problema é trocar seis por meia dúzia. As multi do setor petróleo dos Estados Unidos são consideradas as mais sujas do mundo, inclusive responsáveis pelo maior vazamento de óleo do planeta, no Golfo do México.

A Globo estimula os acionistas da Petrobrás a entrarem na Justiça, usando como exemplo os investidores de Nova Iorque, e parece muito pouco preocupada com as consequências disso. De fato, age como se fizesse parte do time das petrolíferas e demais empresas estrangeiras, prontas para se abanquetar, também, com as riquezas nacionais.

Ir à Justiça e defender seus direitos é prerrogativa de qualquer cidadão, no Brasil e no mundo. Mas, no caso da Globo, não existe inocência entre intenção e gesto. Há uma estreita conexão entre a intenção de destruir a Petrobrás e as notícias divulgadas.

A Globo diz que já teria pago os impostos pela transmissão da Copa de 2002. Mas, cadê o Darf - recibo de pagamento? Já houve manifestação na porta da emissora cobrando que exibisse o comprovante, mas os donos da empresa desconversam.

Que moral tem as Organizações Globo para incentivar a entrega do nosso petróleo às empresas estrangeiras, escorada na crise que abala a Petrobrás, se ela própria entulha porcarias na cabeça do povo e sonega impostos?

Ou a Receita Federal estende o direito a sonegação ao cidadão comum ou cobra de quem deve, e muito, a cada um de nós. O pau que dá em Chico, também dá em Francisco.

*O autor é diretor do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP)

Rio de Janeiro, 26 de dezembro de 2014;




Email: emanuelcancella@uol.com.br 

Origem.

Nenhum comentário: