7 de janeiro de 2013

Chávez foi reeleito. A vontade do povo é que tem de prevalecer. O resto é secundário

Chávez foi reeleito. A vontade do povo é que tem de prevalecer. O resto é secundário

No entanto, agindo como abutres, as oligarquias articulam um golpe atípico e falam em guerra civil
Pedro Porfírio

Tudo pode acontecer nos próximos dias na Venezuela, mas desde já registro como mesquinha, antidemocrática e suicida a manobra da oposição, tentando aproveitar o estado de saúde precário do presidente Hugo Chávez para dar um golpe e tornar sem efeito o resultado das eleições presidenciais de outubro.

Até mesmo este reotorno rápido a Caracas, no dia 14 de dezembro,
levou um blogueiro de oposição a dizer que era uma"armação".
Quando digo tudo pode acontecer não descarto nem uma cena dramática: Chávez poderia aparecer dia 10 em Caracas, prestar o juramento para o novo mandato e licenciar-se em seguida.

Levanto essa hipótese pelo que conheço de sua personalidade heróica, pelo câncer, pela medicina cubana e pelo ambiente de ansiedade e consternação que envolve 90% dos venezuelanos, inclusive muitos que não votaram nele.
Em nenhum momento, ninguém, absolutamente ninguém, pôs em dúvida a lisura do pleito que consagrou a continuidade de Chávez.

Mais do que isso, quando ele já estava na fase mais grave do seu tratamento, seus partidários confirmaram o engajamento do povo venezuelano no projeto socialista de Chávez ao vencerem as eleições do último dia 16 para governadores em 20 dos 23 estados, inclusive em Zúlia,  o mais populoso e mais rico do país, até então governado por oposicionistas. Continue lendo.

2 comentários:

Vanessa Mancini Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Mancini Soares disse...

Se houve realmente lisura no pleito, há que se respeitar o processo democrático ocorrido. Mas a oposição ganha mais espaço a cada eleição, lá isso é verdade. Dessa vez foi mais acirrada a disputa. Cara polêmico esse Chavez... suas medidas ditatoriais, seu carisma e popularidade, sua clara antipatia aos EUA, sua bravura contra a doença (aliás, as notícias sobre seu real estado de saúde não as temos). Vamos ver no que vai dar.